para maiores de 18 anos

17
mar 2013

Debates com Geraldo Freire

 
publicado em: amor
por: Julieta Jacob
 

Esta semana que passou foi cheia de emoções! Eu e Rebecca fomos convidadas para participar de um debate sobre sexualidade com Geraldo Freire na Rádio Jornal (780 AM). Para quem não sabe, Geraldo é quase um mito do rádio pernambucano. Desde que se entende por gente, é líder absoluto de audiência e até ganhou o apelido de “o comunicador da maioria”.

Assim que recebemos o convite, a sensação foi de “ai, que medo!”. Isso porque Geraldo tem fama de falar o que pensa (ou não), não tem papas na língua, nem muitos pudores nem moralismos (ainda bem, né?). Como ele mesmo nos contou “a turma diz por aí que eu sou um safado”. Liga não, Geraldo, deve ser um elogio.

Eu, Rebecca e Geraldo

Mas o “medo” passou assim que o debate começou. Além de ter tem uma energia ótima, Geraldo é o tipo de mediador que sabe como manter uma conversa interessante do início ao fim: é inquieto, curioso, dinâmico, tem excelentes sacadas e ainda é engraçado. Foi logo dizendo que eu e Rebecca éramos duas joinhas (kkk). Resumindo: uma figura!

Sendo assim, o debate, cujo tema era “O tratamento de saúde por meio de carícias”, virou um bate-papo alegre e descontraído, gostoso feito conversa de mesa de bar. A sexóloga Valéria Walfrido também participou e falamos sobre diversos assuntos que também abordamos com frequência no Sexo a Duas: sexo anal, masturbação, sexo oral, orgasmo e sobre o trabalho que eu e Rebecca desenvolvemos com jovens por meio de oficinas de educação sexual.

Eu, Rebecca, Valéria Walfrido e Geraldo

O tema central do debate acabou em segundo plano, e o melhor: ninguém notou (acho que nem os ouvintes)! Quando faltavam dois minutos  – o rádio e a sua incrível capacidade de improvisação – foi que Geraldo se deu conta disso, aí falamos bem rapidinho e pronto. Quem quiser escutar o debate na íntegra, é só clicar aqui.

No dia seguinte, outro convite! Acho que eles adivinharam que eu queria mesmo virar freguesa do programa! Dessa vez, foi para participar de um debate sobre ciúme doentio. Estávamos eu, o psicólogo Sílvio Ferreira e a cantora Irah Caldeira. Mais uma vez, foi super legal.

Falamos sobre aquela ideia (falsa) de que “um pouquinho de ciúme e canja de galinha não fazem mal a ninguém”. É importante que a gente não confunda ciúme com zelo. Zelar é cuidar, um sentimento que serve ao bem estar do outro. É altruísta na essência. Já o ciúme serve ao amor-próprio e à posse. É, portanto, egocêntrico. Não existe ciúme bom ou aceitável. Ciúme não é o tempero do amor, ele azeda a comida. Quem ama, não sente ciúme. Quem ama, cuida. Concorda?

Quem quiser escutar o debate sobre ciúme na íntegra, é só clicar aqui.

 

Compartilhe este post e seus comentários

Deixe seu comentário

Copyright © 2013 - Julieta Jacob - Todos os direitos reservados