para maiores de 18 anos

6
set 2017

Exposição Mundo Clit celebra a sexualidade feminina no Dia do Sexo

 
publicado em: educação sexual, sexo
por: Julieta Jacob
 

Que tal uma tarde no sítio de histórico de Olinda (PE), ou ali pelo Marco Zero (PE), na beira-mar de Cascais (Portugal) ou até de Copacabana (RJ). Se preferir um roteiro mais cosmopolita, não tem problema: seguimos para um passeio pelo metrô de Nova Iork para então desbravar a cidade. Agora imagine todos esses pontos turísticos visitados não por você, mas por um modelo 3D do clitóris em tamanho real. What? A gente garante que não é loucura (ou sim, dependendo do ponto de vista): é a Expo Mundo Clit, promovida pelo projeto Clitóri-se, idealizado por mim e Caroline Arcari.

Além da exposição, o projeto também oferece o curso on-line CLITÓRI-SE, que (re)conta a sexualidade feminina sob o ponto de vista das mulheres – sem tabus, mitos ou vergonhas.

Clit 3D passeando pelo Sítio Histórico de Olinda (PE). Foto: Clitóri-se

Clit 3D no Marco Zero (PE). Veja a galeria completa da expo clicando neste link

Clit 3D fazendo pose em frete à Estátua da Liberdade, NY

Corajosa, poética, ousada, carnavalesca, única… em cada foto a clit 3D assume uma personalidade! (confira a galeria completa clicando neste link. São 18 imagens!!). A série fotográfica, protagonizada pela clit 3D (modelo concebido pela pesquisadora francesa Odile Fillod), tem como objetivo desmistificar esse órgão do prazer feminino e promover o reconhecimento da existência, importância, anatomia, estética e fisiologia do clitóris.

Ao contrário do que muita gente pensa, ele não é “apenas” um pontinho minúsculo na vulva: possui 8 mil terminações nervosas (o dobro da quantidade presente no pênis), além de raízes e bulbos que ficam dentro do corpo e podem medir até 10 cm de extensão.

A escolha de lançar a exposição no dia 6/9, Dia do Sexo, foi justamente para chamar a atenção para a necessidade de apurarmos e divulgarmos informações mais claras e precisas sobre a sexualidade feminina. Sem tabus, sem mitos e sem vergonhas. O acesso a esse tipo de conteúdo faz parte dos nossos direitos sexuais e reprodutivos, afinal. Queremos dar visibilidade a um assunto importantíssimo e que jamais deve sair de pauta.

Até agora, a expo Mundo Clit já conta com fotos clicadas em Nova York, Lisboa e em várias cidades do Brasil. Mas é só o começo! Queremos levar nossa clit para muitos outros lugares do planeta! E, claro, precisamos da sua ajuda! Você também pode participar da Expo Mundo Clit com a sua foto: basta fotografar a sua clit 3D lindona em um ponto turístico da sua cidade ou em alguma situação prazerosa, curiosa e/ou cotidiana e nos enviar por email para o falecom@institutocores.org.br. Não esqueça de indicar o local da foto e o crédito da imagem. Se publicar a foto nas suas redes sociais, marque nossos perfis no facebook e instagram (@clitorinea) e use as hashtags #mundoClit e #clitorise. Já estamos ansiosas esperando as fotos das clits passeando faceiras por esse mundão!!! 

Esperamos que vocês curtam as imagens e se divirtam nesse passeio clitorisante!

CLITÓRI-SE

O projeto Clitóri-se é uma metáfora pela liberdade, soberania sobre o próprio corpo, saúde e cidadania. A soberania sobre o próprio corpo é, sobretudo, um ato político. Além de trazer a discussão sobre os corpos das mulheres e sobre a sexualidade feminina, o projeto Clitóri-se também promove a conscientização das mulheres sobre seu corpo, prazer e saúde sexual. E sabe como? Por meio do conhecimento afetivo das mulheres sobre sua anatomia e fisiologia, com ênfase no desenvolvimento da auto-estima. Trazemos ainda visibilidade à problemática das violações dos direitos sexuais das mulheres, especificamente a mutilação genital feminina, a mutilação genital decorrente da “normalização genital” de crianças intersexo e o estupro. ​

Usando uma nova linguagem sobre sexualidade feminina – ilustrada, acessível e atraente – disponibilizamos informações precisas e descomplicadas sobre sexualidade feminina, baseadas em conhecimento científico, dados históricos e reflexões coletivas. ​Dessa forma, o projeto Clitóri-se contribui para a prevenção de IST/AIDS, câncer de mama, câncer de colo de útero, promove campanhas pela saúde da mulher e também contribui para o empoderamento de vítimas de violência sexual para que (re)conheçam seus corpos como fonte de prazer.

Compartilhe este post e seus comentários

Deixe seu comentário

Copyright © 2017 - Julieta Jacob - Todos os direitos reservados