para maiores de 18 anos

22
jul 2013

Workshop sobre relacionamento amoroso no Rio

 
publicado em: educação sexual
por: Julieta Jacob
 

É sempre animador quando entro na página da psicanalista Regina Navarro Lins e tem um novo curso à vista! Desta vez, trata-se de um workshop sobre relacionamento amoroso. Por e-mail, Regina me explicou:

“Não é curso nem terapia. Um grupo de 16 pessoas se reúne durante dois dias inteiros e o objetivo é trabalhar questões ligadas a amor e sexo através de exercícios que desencadeiam uma reflexão dessas questões. É muito interessante. As pessoas percebem como se veem, como são vistas e as suas dificuldades ficam claras e podem ser trabalhadas no grupo. Na verdade, desencadeia um processo de reflexão”.

De fato, parece intenso e super interessante. Fiquei curiosa! Já conheço Regina de outro curso que fiz com ela em São Paulo e sei que ela toca em pontos super polêmicos (aliás, em sexualidade, quase tudo vira polêmica). E é justamente por isso que vale a pena! Se eu morasse no Rio de Janeiro, não pensaria duas vezes antes de me inscrever!

QUANDO
10 e 11 de Agosto (sábado e domingo), de 9h às 13h – 14h30 às 18h30.

LOCAL
Copacabana, Rio de Janeiro, RJ.

INVESTIMENTO
Duas parcelas de R$380,00.

INSCRIÇÕES e INFORMAÇÕES
rlnl@uol.com.br ou (21) 2547-1481.

1044298_498644613544806_325267367_n

nenhum comentário

20
jul 2013

O que fazer se o menino quiser usar batom?

 
publicado em: educação sexual
por: Julieta Jacob
 

Vou compartilhar uma história que uma amiga minha, que é pediatra, me contou. Ela disse que certa vez uma mãe chegou ao seu consultório com o filho de uns quatro anos e, depois da consulta, tirou o batom da bolsa para retocar. O menino, ao ver o batom, se entusiasmou e quis pegá-lo para usar também, mas a mãe imediatamente esbravejou:

– Menino!! Eu já disse a você que batom é coisa de mulher!! Se você usar isso, a sua pitoca vai cair, viu?? Qua mania!

E continuou:

– Esse menino é doido por batom, doutora, não sei mais o que faço! Que aperreio! E o pai dele já me disse que se ele virar gay a culpa vai ser minha!

O menino ficou apavorado, com ar de choro, esqueceu do batom e colocou as pequenas mãos sobre sua pitoca, como se tentasse protegê-la.

E mais apavorada ainda ficou a pediatra ao testemunhar a cena! O triste é que, por mais surreal que ela pareça, ela é super comum.

Foto: Flickr (Linda Boucher).

Foto: Flickr (Linda Boucher).

É que muitas vezes os pais não sabem o que fazer para coibir certos comportamentos de seus filhos que julgam inadequados. No desespero, apelam para as ameaças descabidas e até trágicas (dizer que a pitoca vai cair pode ser traumático para a criança). Essa “solução” demonstra claramente o medo que alguns pais têm de que seus filhos “virem” homossexuais. O medo é em vão: ninguém “se torna” homossexual porque usou o batom da mãe na infância, ou “deixa de ser” homossexual porque foi impedido de usar o batom da mãe. A orientação sexual é fruto da formação biopsicosocial do indivíduo, ou seja, é multifatorial e não se define de forma tão simplista.

O que a mãe poderia ter feito (e pode fazer daqui por diante)?

Em primeiro lugar, ameaçar é sempre uma péssima ideia. As crianças precisam ser amadas e valorizadas, não ameaçadas e amendrontadas. Além disso, elas  são curiosas, e por mais que ainda não tenham maturidade suficiente para compreender certas coisas “do mundo adulto”, elas precisam de uma explicação. De preferência, uma explicação verdadeira. E quando a mãe diz que a pitoca do filho vai cair, ela está mentindo. A estratégia pode até funcionar, mas não fará sentido na cabeça da criança e logo ela voltará a procurar o batom da mãe. Ou, na pior das hipóteses, o menino vai ter tanto medo de perder a pitoca, que pode se tornar uma criança assustada e até desenvolver alguma fobia.

Não tem mistério. A solução é dizer a verdade (com algumas “adaptações”, se necessário):

– Filho, esse batom é de mamãe e só quem pode usar são adultos (afinal, maquiagem é feita para adultos).

Essa postura também seria adequada caso fosse uma menina que quisesse usar o batom. Portanto, nem precisa entrar no mérito de “batom é coisa de mulher”. A mãe tem o poder de veto e autorização, e impor limites faz parte do processo educacional. Se depois que crescer o menino continuar querendo usar batom, ele já será maduro e livre o suficiente para fazer e assumir suas próprias escolhas.

Foto: reprodução facebook

Foto: reprodução facebook

Nessa tirinha do Bode Gaiato, o que se vê é o famoso – e terrível – bullying infantil. Crianças são anjos de candura, mas podem também ser bem cruéis entre elas. E esse tipo de provocação é típico da infância, não tem jeito. Diante da cena, é preciso se perguntar: assistir a “Chiquitita” seria algo inadequado para um menino? Seria coisa de “marica”? De jeito nenhum! Isso é puro preconceito. Mas para que a criança não sofra o efeito negativo desse bullying, é necessário a intervenção de um adulto para explicar a ela que todas as crianças podem sim assistir a uma novela feita para crianças e que ninguém vai perder a pitoca por causa disso.

Entretanto, se o adulto falha nessa tarefa, a criança sofre. E tem algo mais maravilhoso do que uma criança feliz? Façamos a nossa parte.

6 comentários

17
jul 2013

Curso de capacitação em Terapia Sexual no Recife

 
publicado em: educação sexual
por: Julieta Jacob
 

Muita gente me escreve pedindo dicas sobre cursos de sexualidade. A verdade é que existe uma escassez gigante no mercado. Até conseguir fazer a minha capacitação em Educação em Sexualidade eu penei horas a fio pesquisando na internet.

A boa notícia é que agora em julho vai começar uma nova turma do curso de Terapia Sexual aqui no Recife. A facilitadora, Christyne Cavalcante, foi a minha professora no curso de Educação Sexual e posso garantir que ela é uma excelente profissional, daquelas capazes não apenas de ensinar, mas também de provocar uma mudança qualitativa em nossas vidas.

Não fiz esse curso de terapia sexual porque ele é restrito a profissionais da área de saúde, e eu sou jornalista. Mas conheço algumas médicas que fizeram e adoraram. Veja as informações no cartaz abaixo e boa sorte nos estudos!

Screen shot 2013-07-17 at 4.07.14 PM

nenhum comentário

3
jul 2013

Aplicativo ensina mulheres a se masturbar

 
publicado em: amor, educação sexual
por: Julieta Jacob
 

A masturbação já foi enquadrada pela Igreja entre as “práticas pervertidas”. Acreditava-se, inclusive, que ela poderia ser uma das causas da homossexualidade. Isso num tempo em que se recomendava o sexo exclusivamente para a procriação e bania-se toda forma de prazer.

Muitos séculos se passaram, muita coisa mudou (pra melhor), mas ainda hoje a masturbação guarda resquícios desses equívocos do passado. Tem gente que pensa, por exemplo, que ela provoca espinhas ou faz crescer pêlos nas mãos. Algumas religiões ainda a consideram uma prática inadequada e até pecaminosa.

Para que esses pensamentos não encontrem mais espaço em pleno século 21, é bom esclarecer que a masturbação, seja praticada por homens ou mulheres, é extremamente saudável e importante para que cada pessoa conheça melhor o seu corpo e como funciona o prazer nele (o que mais excita, a melhor maneira de atingir o orgasmo, etc).

E para ajudar as mulheres nessa importante missão, a designer americana Tina Gong, também conhecida como Milkmusket, desenvolveu o HappyPlayTime, um aplicativo que esclarece dúvidas sobre a masturbação e dá uma mãozinha para as mulheres conhecerem melhor o próprio corpo em busca de prazer.

O aplicativo já foi idealizado e desenhado, mas ainda está em fase de testes antes de ser lançado ao público, por isso não é possível saber exatamente como ele funciona. Mas se você quiser conhecê-lo melhor, basta clicar aqui para fazer um login, é super simples! Também tem uma página do aplicativo no facebook.

Eu achei a proposta bem interessante e necessária, tudo o que possa contribuir para desmitificar a masturbação é bem-vindo. Além disso, acho bem legal usar a tecnologia a serviço da educação sexual! Iniciativas assim me alegram. Quanto ao visual, achei simpático e bem-humorado. Só não dá pra saber ainda se ele, de fato, vai cumprir o que promete. Tomara que sim!

Screen shot 2013-07-03 at 5.43.53 PM

O aplicativo foca na anatomia feminina, com destaque para o clitóris, órgão de maior prazer para as mulheres.

Screen shot 2013-07-03 at 5.46.01 PM

A ideia é desvendar “os segredos da genitália feminina”.

O aplicativo também reúne infográficos e informações retiradas de pesquisas.

Screen shot 2013-07-03 at 5.44.49 PM

44,4% das mulheres se masturbam pela primeira vez entre 10 e 14 anos.

Screen shot 2013-07-03 at 5.45.19 PM

Mulheres entre 27 e 46 anos tendem a sentir mais culpa e vergonha ao se masturbar.

Screen shot 2013-07-03 at 5.44.33 PM

A faixa etária em que as mulheres se masturbam com mais frequência é entre 25 e 29 anos.

1 comentário

4
jun 2013

Curso debate questões do amor com Regina Navarro Lins

 
publicado em: educação sexual
por: Julieta Jacob
 

Uma ótima notícia para quem se interessa por sexualidade e quer aprofundar o conhecimento na área. Começa amanhã, no Rio de Janeiro, o curso “Questões do Amor” com a psicanalista Regina Navarro Lins. Serão quatro encontros no mês de junho, com duas horas de duração cada um. Fiz esse curso em outubro do ano passado em São Paulo e como valeu muito a pena, faço questão de recomendá-lo.

294240_478609315548336_1298137127_n

Vou colocar alguns links de textos que fiz na época do curso sobre os assuntos abordados em cada uma das quatro aulas para dar uma ideia do conteúdo:

Aula 01: O AMOR. Leia o texto O amor romântico é um grande cilada.

Aula 02: O CASAMENTO. Leia o texto O casamento é onde menos se faz sexo. 

Aula 03:  SEPARAÇÃO. Leia o texto Até que a morte os separe.

Aula 04: AMOR E SEXO: Leia o texto Novas tendências do amor e do sexo. 

httpv://youtu.be/D76SBrvWj7A

Serviço:
Curso “Questões do Amor”
04 aulas, às quartas-feiras (dias 05, 12, 19 e 26 de junho)
Horário: 19h às 21h
Valor: R$190,00
Local: Centro Cultural da Justiça Federal (Av. Rio Branco, 241 – Centro – Sala Multimídia) – Rio de Janeiro.

nenhum comentário

21
maio 2013

Curso aborda visão psicanalítica do amor, do desejo e da paixão

 
publicado em: educação sexual
por: Julieta Jacob
 

O espaço 3 e meio, no Recife, está oferecendo o curso “Amor, desejo e paixão”, ministrado pelo psicólogo e psicanalista Fernando Calsavara. Será uma conversa sobre o sentido original de três tipo de amor: Eros, Philia e Ágape. Também serão abordadas a diferença entre amor, desejo e paixão, e as dificuldades mais comuns nas trocas amorosas, escolhas apaixonadas e realização de desejos, tudo sob a ótica da psicanálise.

Serão dois encontros (dias 06 e 13 de junho), com duas horas de duração cada (das 19h30 às 21h30). O curso custa R$120 e a pré-inscrição pode ser feita clicando aqui.

Foto: Lee Ann L (flickr).

Foto: Lee Ann L (flickr).

nenhum comentário

20
maio 2013

Sexo a Duas #15 – sexo anal (parte III – final)

 
publicado em: educação sexual
por: Julieta Jacob
 

Oi, pessoal!

Quem acompanha o blog e a página do Erosdita no facebook (já curtiu?) está sabendo da “pausa estratégica” que a gente deu no Sexo a Duas. Pois bem, cá estamos nós duas de volta para um duplo encerramento: vamos concluir a série sobre sexo anal (foram 03 episódios) e também encerrar a primeira temporada da série de educação sexual do Erosdita. Foram 15 episódios sobre temas variados, você já viu todos eles?

No terceiro e último episódio da série, nós vamos falar um pouco sobre algumas posições para a prática do sexo anal.

Em breve nos vamos estrear a segunda temporada do Sexo a Duas, com episódios novinhos! Aproveito, portanto, para pedir sugestões a vocês. Que temas querem ver? O que acham que pode ser melhorado? Sugiram, que faremos o possível para chegar no melhor resultado!

Bom Sexo a Duas!

2 comentários

16
maio 2013

Governo lança campanha contra exploração sexual de menores

 
publicado em: educação sexual
por: Julieta Jacob
 

Esta semana o Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes (Conanda) e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) lançaram a campanha “Faça Bonito, Proteja Nossas Crianças” com o objetivo de mobilizar a sociedade contra a violência sexual contra crianças e adolescentes.

Em entrevista ao Correio Braziliense, a presidenta do Conanda, Maria Izabel da Silva, destacou a importância de ações preventivas por meio da educação sexual para evitar novos casos de violência.

O governo também deve disponibilizar o novo Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes no site do Conanda e da SDH.
Vale lembrar que neste sábado (18/05) é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A estimativa é que mais de três mil municípios do país participem de mobilizações em torno da data, que incluem palestras, workshops e caminhadas.
abuso1
nenhum comentário

7
maio 2013

Mulheres sauditas poderão praticar esportes nas escolas

 
publicado em: educação sexual
por: Julieta Jacob
 

A notícia de que a Arábia Saudita informou que vai permitir que escolas particulares femininas ofereçam a prática de esportes para as suas alunas me deixou mais triste do que feliz. E não é pessimismo da minha parte. Reflitam comigo.

Sim, é um “avanço”, reconheço (considerada até uma decisão histórica por alguns). Mas a que preço?

O governo já anunciou a contra-partida: para praticar esportes, as estudantes terão que se submeter a um “código de vestimenta apropriado” e observar regras estritas de conduta. Elas não poderão ser vistas por homens enquanto usam calças, por exemplo. Para quem não sabe, todas as instituições de ensino sauditas são segregadas por sexo, não há escolas mistas.

Não por acaso, analistas já concluíram que o único benefício dessa decisão do governo é o fato de mulheres passarem a ter acesso a esportes nas escolas. No tocante ao tratamento diferenciado de gênero e à condição subalterna da mulher na sociedade, pouca coisa – ou nada – muda.

Na Arábia Saudita, as mulheres não podem dirigir, sair do país ou abrir conta bancária sem autorização de um homem. Apenas recentemente elas ganharam a permissão de andar de moto e de bicicleta.

Leia a reportagem completa aqui.

Foto: reprodução Folha de S. Paulo

Foto: reprodução Folha de S. Paulo

nenhum comentário

6
maio 2013

Um rápido intervalo

 
publicado em: educação sexual
por: Julieta Jacob
 

Vocês estão com saudades do Sexo a Duas? Nós também! Muita saudade! Olha a gente aqui rezando pra que o próximo programa entre logo no ar para voltarmos a nos encontrar toda semana com vocês ♥

Tivemos um rápido intervalo e em breve retornaremos com programas novinhos e energia renovada. Foi uma pausa estratégica, para o bem de todos e felicidade geral da nação (apesar da saudade, acreditem!). O próximo programa é o encerramento da série sobre sexo anal. Se ainda não viu, assista ao programa 01 e ao programa 02 da série.

Aliás, todos os 14 programas estão disponíveis aqui no blog, no menu Sexo a Duas. Que tal aproveitar esse intervalo para ver todos e ficar atualizado?

E se vocês quiserem se juntar à nossa corrente de oração, vamos adorar, será uma grande honra! Vem, pessoal!

Até muito breve.
Screen shot 2013-05-06 at 8.45.14 PM

nenhum comentário
Page 10 of 14« First...«89101112»...Last »

Copyright © 2013 - Julieta Jacob - Todos os direitos reservados