para maiores de 18 anos

21
jun 2016

Educação sexual: as escolas estão preparadas?

 
publicado em: educação sexual, sexo
por: Julieta Jacob
 

Reportagem*: Marlon Diego (marlondiego7@gmail.com) e Renata Mendonça (mpires.renata@hotmail.com)

Promover educação sexual nas escolas é uma questão de respeito aos direitos humanos e também de saúde pública. Significa abordar não apenas o básico – as possíveis consequências de relações sexuais sem prevenção (gravidez indesejada e/ou doenças sexualmente transmissíveis) –  mas também questões ligadas a gênero, enfrentamento à violência contra a mulher, identidade, sentimentos, comunicação, família, diversidade sexual e sexualidade.

sexo giz

Na  Constituição de Pernambuco, no artigo 196, consta que a educação sexual é considerada um assunto essencial dentro das  salas  de  aula e deve ser abordada tanto na rede pública quanto na privada. Entretanto, ainda há um longo caminho a se percorrer. leia o post completo »

1 comentário

19
jun 2016

Navegando pelas abas do sexo virtual: internet, câmera e muito tesão

 
publicado em: Especial UFPE, sexo
por: Julieta Jacob
 

Texto*: Ademara Thalyta

Sem toque, sem gosto, sem cheiro: fruto dessa nova maneira de socialização que se fez possível graças ao advento da internet, o sexo virtual existe, é amplamente praticado e polemizado.sexo virtualO Omegle é um dos vários sites existentes que têm por função conectar computadores aleatórios de todo o mundo em conversas imediatas assim que os indivíduos acessam a plataforma. Outros exemplos são o Chatroulette, Chaturbate e o ManHunt.

O Omegle foi a plataforma utilizada nesta reportagem pelo fato de não requerer nenhuma forma de cadastro ou informação pessoal do indivíduo para que se estabeleça uma conexão, ou seja, diferentemente dos outros sites citados, no Omegle a facilidade de qualquer pessoa se conectar é muito maior, sem restrição de idade, sexualidade ou gênero. leia o post completo »

nenhum comentário

12
maio 2016

Peraí que eu não gozei! Quem é que diz quando o sexo termina?

 
publicado em: sexo
por: Julieta Jacob
 

Eba! Hoje é dia de chá comigo!

O assunto de hoje foi motivado por mulheres maravilhosas que tive o prazer de conhecer! Tá na mesa, pode se servir!

Depois me conta o que achou do nosso chá? E pode jogar um tema aqui na minha xícara, pois o chá é nosso!

Aproveita e se inscreve logo no canal pra não perder o vídeo da semana que vem! É só clicar no botão “inscrever-se”!

 


VEJA O CHÁ DA SEMANA PASSADA

 

nenhum comentário

9
maio 2016

Xico Sá fala sobre sexo e amor para o Erosdita. Assista!

 
publicado em: amor, sexo
por: Julieta Jacob
 

E pra quem estava aguardando ansiosamente, aqui está a entrevista que fiz com o escritor Xico Sá! Eba!! Foi um papo bem descontraído e bem-humorado, em que Xico falou sobre o maior medo dos homens na cama, monogamia, poliamor, diversidade sexual, primeira vez, machismo e felicidade sexual. Tá imperdível! O programa tá dividido em três blocos e eu sugiro, claro, que você assista aos três! Divirta-se e me conta o que achou!

PARTE 01 > tópicos: Xico Sá fala sobre o maior medo dos homens na cama, machismo, desconstrução do machismo e igualdade de gênero.

leia o post completo »

1 comentário

5
maio 2016

Vlog Chá Comigo estreia hoje às 17h no YouTube

 
publicado em: amor, educação sexual, sexo
por: Julieta Jacob
 

Quem acompanha minhas redes sociais já tá sabendo de tudo, digo logo! Então pra você não ficar de fora, segue aqui ó: instagram (@cha.comigo) e facebook.com/chacomjuba. Por lá eu já matei o suspense e contei sobre o meu novo projeto, chamado Chá Comigo. Talvez você já o conheça, porque ele foi lançado inicialmente no ano passado. A novidade é que agora ele virou um vlog no YouTube. Toda quinta, às 17h tem vídeo novo no canal (aproveita e se inscreve logo)!

cartaz cha comigo

O Chá Comigo é um vlog que estreia hoje, às 17h, no YouTube.

leia o post completo »

nenhum comentário

30
abr 2016

Xico Sá é o entrevistado do programa Erosdita deste sábado

 
publicado em: amor, sexo
por: Julieta Jacob
 

O bom de acompanhar o blog é que aqui você fica sabendo dos bastidores! hehehe A história é a seguinte: no fim de 2014 o escritor Xico Sá esteve em Olinda para participar de uma feira literária. Já fazia um tempo que eu queria entrevistá-lo e não podia perder a oportunidade. Fomos então encontrá-lo no Hotel Sete Colinas, onde ele estava hospedado e onde a entrevista aconteceu.

erosdita xico sa

A entrevista com o Xico Sá vai ao ar neste sábado (30/04), na TV Pernambuco.

leia o post completo »

nenhum comentário

24
abr 2016

Eu Escolhi Esperar e a liberdade de não fazer sexo antes do casamento

 
publicado em: sexo
por: Julieta Jacob
 

Se hoje em dia campanhas como Eu Escolhi Esperar atraem a atenção de milhões de pessoas, sobretudo de jovens, num passado nem tão distante, a realidade era outra.

A partir dos anos 60, a chamada Revolução Sexual quebrou barreiras normativas do sexo, anteriormente visto numa perspectiva heterossexual e monogâmica. A revolução se deu com a perda do poder das morais cristãs tradicionais e o surgimento de sociedades mais permissivas, como as comunidades hippies, que aceitavam uma maior liberdade, pregando o “amor livre”.

Three Signs In Male Fists Saying No, No and No Isolated on a White Background.

Com mais de três milhões de adeptos nas redes sociais, a campanha “Eu Escolhi Esperar” visa orientar os jovens sobre a importância de se praticar sexo apenas após o matrimônio.

Com a invenção da pílula contraceptiva, as mulheres passaram a ter mais controle sobre seu próprio corpo, o que propiciou uma vida sexual mais ativa. A luta pelos direitos LGBT também contribuiu para a discussão e abertura da sociedade para uma sexualidade diferente.

leia o post completo »

2 comentários

21
abr 2016

Sexo e cinema: uma relação sempre polêmica e o difícil limite entre o erótico e o pornográfico

 
publicado em: sexo
por: Julieta Jacob
 

Para falar sobre sexo e cinema, é preciso, antes, reconhecer que o limiar entre o que é erótico e o que é pornográfico permeia toda a história das artes visuais. No Museu do Sexo, em Nova York, uma exposição mostra imagens pornográficas datadas de 1821. Nos Estados Unidos, centro da indústria cinematográfica, são lançados 11 mil filmes pornográficos por ano, 20 vezes mais do que o número de filmes lançados de todos os gêneros juntos, o que movimenta mais de R$ 100 bilhões por ano de acordo com o estudo divulgado pela organização Treasures, voltada ao resgate de pessoas do tráfico sexual.

sexo e cinema love 3d

Cena do filme “Love”, do diretor Gaspar Noé.

“Na história do cinema, os filmes que exploram a temática do sexo e entram no circuito tradicional, sempre chamaram a atenção da crítica e do público e  são lembrados por uma cena picante que impacta as pessoas. Foi assim com Intimidade (2001), Para Minha Irmã (2001), Romance (2008), Instinto Selvagem (1992), Nove e Meia Semanas de Amor (1986) e Último Tango em Paris (1972)”, comenta, o jornalista e coordenador de programação do cinema da Fundação Joaquim Nabuco no Recife, Luiz Joaquim.

leia o post completo »

1 comentário

1
abr 2016

BDSM não é violência: “Eu gosto de agressividade, eu queria que ele batesse em mim”

 
publicado em: sexo
por: Julieta Jacob
 

Bondage e Disciplina; Dominação e Submissão; Sadismo e Masoquismo, ou simplesmente BDSM. Conjunto de fetiches e comportamentos sexuais que conformam uma fonte de prazer para várias pessoas, de todos os sexos.

ninfomaniaca filme

Cena do filme “Ninfomaníaca – Vol II”, em que a personagem Joe experimenta o prazer do sadomasoquismo.

Define-se como BDSM um relacionamento adulto entre dois ou mais parceiros que pratiquem ao menos uma das três correntes que dão nome ao conjunto. O praticante de cada corrente se diferencia dos demais pelas atividades correspondentes ao seu grupo, porém não há nenhum impedimento para que as práticas se unifiquem, ou que se realizem separadamente.

O importante, e o que distingue o BDSM da violência gratuita, é o fato de ser um ato são, seguro e consensual, em que o objetivo principal é sempre o prazer sexual mútuo.

leia o post completo »

nenhum comentário

30
mar 2016

Assexualidade: “Quando as pessoas veem que eu não faço sexo, acham que eu não vivo”

 
publicado em: sexo
por: Julieta Jacob
 

Sexo vende, sexo é saúde, sexo é paixão, sexo é vida. Sexo isso, sexo aquilo. Desde que o mundo é mundo, todas as instituições, relacionamentos e até mesmo personalidades parecem girar em torno dessa atividade, que apesar de ser mal vista, continua a reger todas essas instâncias da sociedade como algo instintivo e totalmente natural. Por causa disso, o sexo acaba se tornando provavelmente o único tabu da humanidade sobre o qual se fala o tempo inteiro – logo, quando se recusa a falar sobre ele, somos ensinados a pensar que algo está errado. Isso explica por que a assexualidade é encarada por muita gente como algo “fora do normal”.

bandeira-assexualidade

Representação das cores da bandeira da assexualidade.

leia o post completo »

6 comentários
Page 2 of 7«12345»...Last »

Copyright © 2016 - Julieta Jacob - Todos os direitos reservados